Alterar o tamanho de alocação inicial do IPv6

LAC-2016-5-v3 LAC-2016-5-v4 Vs
References:
New
Deleted
Modified
Authors

Nome: Jordi Palet Martinez
Email: jordi.palet@consulintel.es
Organização: Consulintel

Nome: Jordi Palet Martinez
Email: jordi.palet@consulintel.es
Organização: Consulintel

Summary

Quando foi projetada a política, não foram levados em conta os casos de organizações "especiais" que não são necessariam
ente ISP no sentido estrito (não cobram o serviço a seus clientes e/ou são clientes "internos"), mas são governos, redes
acadêmicas, ou outros casos semelhantes.
Estas organizações, por seu tamanho, número de usuários, extensão da infraestrutura, estrutura hierárquica e/ ou geográf
ica, segmentação da infraestrutura por motivos de segurança ou outros, etc., poderiam não justificar o suficiente uma ne
cessidade maior a /32 com o texto atual da política.

Quando foi projetada a política, não foram levados em conta os casos de organizações "especiais" que não são necessariam
ente ISP no sentido estrito (não cobram o serviço a seus clientes e/ou são clientes "internos"), mas são governos, redes
acadêmicas, ou outros casos semelhantes.
Estas organizações, por seu tamanho, número de usuários, extensão da infraestrutura, estrutura hierárquica e/ ou geográf
ica, segmentação da infraestrutura por motivos de segurança ou outros, etc., poderiam não justificar o suficiente uma ne
cessidade maior a /32 com o texto atual da política.

Rationale

O texto da política atual, se for interpretado de forma estrita por parte da equipe de LACNIC, poderia gerar problemas p
ara justificar os casos especiais de LIR que não são ISP no sentido estrito como definido no ponto 1.6. Por conseguinte,
parece razoável estabelecer um caso mais claro para aqueles LIR que não sejam ISP "tradicionais". Esses casos, geralmen
te em IPv4, usam endereços privados e um ou vários níveis de NAT (e por isso este caso não aconteceu previamente com IPv
4 nem mesmo em outras regiões) o que não é apropriado em IPv6.
É um caso que já aconteceu em outras regiões, por exemplo, em RIPE e ARIN, em que governos de países como a Espanha, Ale
manha e USA viram adiadas suas designações, até mesmo por anos, por falta de uma política apropriada.
Trata-se de evitar que esse erro se repita e que a região esteja preparada com uma política adequada para esses casos e
não fique para trás.

O texto da política atual, se for interpretado de forma estrita por parte da equipe de LACNIC, poderia gerar problemas p
ara justificar os casos especiais de LIR que não são ISP no sentido estrito como definido no ponto 1.6. Por conseguinte,
parece razoável estabelecer um caso mais claro para aqueles LIR que não sejam ISP "tradicionais". Esses casos, geralmen
te em IPv4, usam endereços privados e um ou vários níveis de NAT (e por isso este caso não aconteceu previamente com IPv
4 nem mesmo em outras regiões) o que não é apropriado em IPv6.
É um caso que já aconteceu em outras regiões, por exemplo, em RIPE e ARIN, em que governos de países como a Espanha, Ale
manha e USA viram adiadas suas designações, até mesmo por anos, por falta de uma política apropriada.
Trata-se de evitar que esse erro se repita e que a região esteja preparada com uma política adequada para esses casos e
não fique para trás.

Text

Se melhora o título atual da seção 4.5.1.3. Tamanho de alocação inicial, de tal forma que fique 4.5.1.3. Tamanho de aloc
ação inicial para ISPs.
Propõe-se uma nova secção:
4.5.1.4. Tamanho de alocação inicial para LIR que não são "ISP" (governos, associações, redes acadêmicas ou outros casos
similares)
As organizações poderiam qualificar para uma alocação inicial maior a /32 entregando documentação que justifique o pedid
o.
Neste caso, a documentação deve atender às seguintes considerações:
- O plano de endereçamento deve levar em conta a longevidade prevista da organização.
- Deve considerar o espaço necessário para atender aos "clientes", número de usuários, extensão da infraestrutura da org
anização, estrutura hierárquica e/ ou geográfica da organização, segmentação da infraestrutura por motivos de segurança
e aos serviços atuais considerando o prefixo mínimo para designações recomendadas na política em vigor.

Se melhora o título atual da seção 4.5.1.3. Tamanho de alocação inicial, de tal forma que fique 4.5.1.3. Tamanho de aloc
ação inicial para ISPs.
Propõe-se uma nova secção:
4.5.1.4. Tamanho de alocação inicial para LIR que não são "ISP" (governos, associações, redes acadêmicas ou outros casos
similares)
As organizações poderiam qualificar para uma alocação inicial maior a /32 entregando documentação que justifique o pedid
o.
Neste caso, a documentação deve atender às seguintes considerações:
- O plano de endereçamento deve levar em conta a longevidade esperada da alocação.
- Deve considerar o espaço necessário para atender aos "clientes", número de usuários, extensão da infraestrutura da org
anização, estrutura hierárquica e/ ou geográfica da organização, segmentação da infraestrutura por motivos de segurança
e aos serviços atuais considerando o prefixo mínimo para designações recomendadas na política em vigor.

Additional Information

Nenhuma

Nenhuma

References

-

-