Revisão e correção de erros na política do IPv6

Idioma Original Español Data Publicação 27/02/2018 Última Modificação 16/02/2018
Período de últimos comentários Não aplicável Data de ratificação Não aplicável Data de implementação Não aplicável
Estado Em discussão Baixar TXT PDF XML DOCX
Ver outras versões 1.0 (comparar)

Autores

Nome: Jordi Palet Martinez
E-mail: jordi.palet@consulintel.es
Organização: The IPv6 Company

Dados da Proposta

Tipo Política: LACNIC
Id: LAC-2018-4
Última versão: 1

Resumo

A política de alocação e designação de endereços IPv6 vem mudando nos últimos anos, por "partes", e essas mudanças levaram a várias inconsistências no texto.

Além de resolver tais inconsistências, e inclusive erros de referências, atualiza-se uma referência importante a um documento muito recente para uma melhor compreensão de como os LIR podem designar endereços IPv6 aos seus usuários.

Justificativa

Esta atualização evitaria erros de compreensão e, especialmente, pode ajudar a resolver um dos problemas mais sérios na região, que consiste em que seja designado um único /64 para os usuários finais, o que é incorreto para o IPv6.

O conceito de "utilização" também é esclarecido para que ele tenha uma leitura neutra, independentemente do tamanho do prefixo que cada ISP decida designar.
A referência ao apêndice "HD-Ratio" é corrigida.

Texto

Texto atual:

4.2.1. Utilização

Ao contrário do IPv4, IPv6 é geralmente designado para usuários finais em quantidades fixas. A utilização real de endereços dentro de cada designação será razoavelmente baixa, quando comparada com as designações do IPv4. No IPv6, a "utilização" é medida em termos dos bits à esquerda do limite /56. Em outras palavras, a utilização refere-se à designação de /56 para os usuários finais e não ao número de endereços utilizados dentro de blocos individuais de prefixo /56 nesses usuários finais.

No decorrer deste capítulo, o termo "utilização" refere-se à designação de /56s para os usuários finais, e não ao número de endereços designados dentro dos /56s individuais nesses usuários.

4.2.2. HD Ratio
... onde, no caso deste documento, os objetos são endereços IPv6 de usuários (/48s) designados a partir de um prefixo IPv6 de um tamanho determinado (ver Apêndice 10.2).

4.5.3.1. Designação do espaço de endereçamento
As designações devem ser feitas de acordo com a necessidade apresentada pelo usuário do ISP e com as recomendações existentes [RFC6177], das quais se destacam as mais importantes:

O usuário ou site final devem receber a quantidade suficiente de designações para satisfazer as suas necessidades atuais e planejadas.

Não menos que /64 deve ser designado a um usuário ou site final. A seleção exata do tamanho do bloco a ser designado é uma decisão operacional do LIR/ISP.

A RFC6177 recomenda uma designação maior a /64 para os usuários/sites finais, mas que não seja adotado o plano de designar /48 por defeito a todos os usuários/sites finais.

Uma recomendação seria designações entre /48 e /56.

Os RIR/NIR não estão preocupados com o tamanho de endereçamento que os LIR/ISP realmente designam. Os RIR/NIR não vão requisitar informações detalhadas sobre as redes IPv6 dos usuários, como foi feito para IPv4, exceto para os casos descritos na seção 4.5.2 e com o propósito de avaliar a utilização, tal qual definido neste capítulo.

Novo texto:

4.2.1. Utilização

Ao contrário do IPv4, IPv6 é geralmente designado para usuários finais em quantidades fixas. A utilização real de endereços dentro de cada designação será razoavelmente baixa, quando comparada com as designações do IPv4.

No IPv6, a "utilização" é medida em termos do número de prefixos atribuídos aos usuários finais, não ao tamanho dos prefixos, ou ao número de endereços efetivamente usados nesses prefixos, e assim deverá ser entendido ao longo deste documento. .

4.2.2. HD Ratio
... onde, no caso deste documento, os objetos são endereços IPv6 de usuários (/48s) designados a partir de um prefixo IPv6 de um tamanho determinado (ver Apêndice 12.2).

4.5.3.1. Designação do espaço de endereçamento
As designações devem ser feitas de acordo com a necessidade apresentada pelo usuário do ISP e de acordo com as recomendações existentes [RIPE-690, https://www.ripe.net/publications/docs/ripe-690], das que se destacam:

• Deve ser designado ao usuário ou site final, um prefixo que seja múltiplo de "n" x /64, o suficiente para atender suas necessidades atuais e planejadas e levando em consideração os protocolos existentes e as possibilidades futuras, evitando assim os processos de renumeração.
• A seleção exata do tamanho do prefixo a ser designado é uma decisão operacional do LIR/ISP, embora seja recomendada uma infraestrutura mais simples e funcional com /48 para todas as extremidades da rede.
• Recomenda-se o uso de prefixos persistentes para evitar efeitos indesejados.
• Recomenda-se o uso de /64 para os ponto-a-ponto, com endereçamento GUA

Não corresponde aos RIR/NIR conhecer o tamanho de endereços que os LIR/ISP realmente designam. Portanto, os RIR/NIR não vão requisitar informações detalhadas sobre as redes de usuários IPv6, como foi feito no IPv4, exceto para os casos descritos na Seção 4.5.2 e para fins de medir a utilização conforme definido neste capítulo.

Informações Adicionais

Esta proposta não implica qualquer alteração na aplicação da política em vigor, são apenas esclarecimentos, correções de erros e referências atualizadas, embora possam evitar interpretações incorretas.

Tempo de Implementação

Imediato

Referências

RIPE-690, https://www.ripe.net/publications/docs/ripe-690