Alterar o tamanho de alocação inicial do IPv6

Idioma Original Español Data Publicação 03/10/2016 Última Modificação 27/09/2016
Período de últimos comentários 23/05/2017 - 07/07/2017 Data de ratificação Não aplicável Data de implementação 16/08/2017
Estado Implementada Baixar TXT PDF XML DOCX
Ver outras versões 1.0 (comparar)

Autores

Nome: Jordi Palet Martinez
E-mail: jordi.palet@consulintel.es
Organização: Consulintel

Opinião Geral

Dados da Proposta

Tipo Política: LACNIC
Id: LAC-2016-7
Última versão: 1
Apresentada em: LACNIC 27 Apresentações:

Resumo

Quando foi projetada a política, não foram levados em conta os casos de organizações "especiais" que não são necessariamente ISP no sentido “tradicional” estrito (que talvez não cobrem o serviço a seus clientes e/ou são clientes "internos", ainda sendo diferentes organizações administrativas), mas são governos, redes acadêmicas, ou outros casos semelhantes.

Estas organizações, por seu tamanho, número de usuários, extensão da infraestrutura, estrutura hierárquica e/ ou geográfica, segmentação da infraestrutura por motivos de segurança ou outros, etc., poderiam não justificar o suficiente uma necessidade maior a /32 com o texto atual da política.

Igualmente, os ISP tradicionais podem ter estruturas em que o conceito de POP for, por exemplo, dinâmico, e não parece conveniente, pensando em novas tecnologias, que estejam baseados neste tipo de "medida" para justificar a necessidade de recursos.

Justificativa

O texto da política atual se for interpretado de forma estrita por parte da equipe de LACNIC poderia gerar problemas para justificar os casos especiais de LIR que não são ISP no sentido estrito como definido no ponto 1.6. Por conseguinte, parece razoável estabelecer um critério mais aberto, que permita também aqueles casos de LIR que não sejam ISP "tradicionais". Esses casos, geralmente em IPv4, usam endereços privados e um ou vários níveis de NAT (e por isso este caso não aconteceu previamente com o IPv4 nem mesmo em outras regiões) o que não é apropriado no IPv6.

É um caso que já aconteceu em outras regiões, por exemplo, em RIPE e ARIN, em que governos de países (Espanha, Alemanha, USA) viram adiadas suas designações, até mesmo por anos, por falta de uma política apropriada.

Trata-se de evitar que esse erro se repita e que a região esteja preparada com uma política adequada para esses casos e não fique para trás.

Texto

Texto atual:

4.5.1.3. Tamanho de alocação inicial.
As organizações poderiam qualificar para uma alocação inicial maior a /32 entregando documentação que justifique o pedido. Neste caso, a documentação deve atender às seguintes considerações:

- O plano de endereçamento não deve ultrapassar os quatro anos. E deve considerar o espaço necessário para atender os clientes e os serviços atuais considerando o prefixo mínimo para designações recomendadas na política em vigor.

- Devido à existência de múltiplos pontos de acesso (POP), o plano de endereçamento pode indicar prefixos mínimos para cada POP. Os prefixos mínimos para cada POP devem estar dentro das "fronteiras" binárias do endereço IPv6 (/X, em que X é múltiplo de 4). No entanto, o bloco previsto para cada POP deve satisfazer pelo menos 30% da necessidade atual do mesmo.

O prefixo designado para o ISP deve estar dentro das "fronteiras" binárias do endereço IPv6 para poder cumprir com as considerações mencionadas anteriormente.

Texto proposto:

4.5.1.3. Tamanho de alocação inicial
As organizações poderiam qualificar para uma alocação inicial maior a /32 entregando documentação que justifique o pedido.

Neste caso, a alocação inicial, estará baseada no espaço necessário para atender os clientes, número de usuários, extensão da infraestrutura da organização, estrutura hierárquica e/ ou geográfica da organização, segmentação da infraestrutura por motivos de segurança e a longevidade prevista para esta alocação inicial.

O prefixo designado para o ISP deve estar dentro das "fronteiras" binárias do endereço IPv6 para poder cumprir com as considerações mencionadas anteriormente.

Informações Adicionais

nenhuma

Tempo de Implementação

imediato

Referências

https://www.ripe.net/participate/policies/proposals/2015-03

Notas Públicas da equipe de LACNIC

ANALISE DE IMPACTO PELA EQUIPE DE LACNIC - Proposta LAC-2016-7 - versão 1

Interpretação da proposta pela equipe de LACNIC
------------------------------------------------
Ao remover o texto atual, LACNIC entende que não continuaria sendo exigido que o plano de endereçamento dos pedidos de alocação inicial IPv6 para ISP não ultrapassasse os quatro anos. Também não seria solicitado que o bloco previsto para cada POP deva satisfazer pelo menos 30% da necessidade atual do mesmo, conforme modificado pela proposta.
LACNIC entende que a designação estaria baseada no novo texto:

“Neste caso, a alocação inicial, estará baseada no espaço necessário para atender os clientes, número de usuários, extensão da infraestrutura da organização, estrutura hierárquica e/ ou geográfica da organização, segmentação da infraestrutura por motivos de segurança e a longevidade prevista para esta alocação inicial.

O prefixo designado para o ISP deve estar dentro das "fronteiras" binárias do endereço IPv6 para poder cumprir com as considerações mencionadas anteriormente.”

Assim, LACNIC interpreta que o solicitante poderia receber um espaço IPv6 sem limite de espaço definido. No entanto, o pedido deverá estar justificado pelo plano de endereçamento no tempo previsto.
Entendemos, também, que ao remover o texto sobre o bloco fornecido para cada POP, a equipe de LACNIC não poderá analisar a distribuição de usuários em cada POP, tornando mais difícil a análise do pedido.

Implementação da proposta
----------------------------
A proposta poderia ser implementada em forma imediata.

Impacto da política no sistema de registro e endereços
-------------------------------------------------------
Esta proposta não implicaria ajustes no sistema de registro